Não perca 4 dicas para melhorar a gestão de empresas familiares

4 minutos para ler

Existem diversos obstáculos na gestão de empresas familiares, afinal, essas corporações podem contar com alguns costumes bem arraigados e que fazem parte da sua cultura, mesmo que não sejam os mais indicados.

Diante desse cenário, o setor de Recursos Humanos precisa encontrar um meio termo entre essas ideias e as melhores práticas. Vale lembrar que há muitos cases de organizações bem-sucedidas com núcleo familiar, como o Grupo Pão de Açúcar e o Magazine Luiza.

Neste post, vamos apresentar 4 dicas para melhorar a gestão desse tipo de corporação. Acompanhe!

Quais são os maiores desafios que o RH dessas empresas enfrenta?

Embora boa parte dos obstáculos enfrentados por essas organizações sejam similares aos identificados em negócios com elos estritamente profissionais, encontramos pontos em comum nesse modelo de empreendimento que dificultam o trabalho do Recursos Humanos. 

Ocorrência de conflitos

As brigas familiares podem afetar seriamente o andamento da corporação e prejudicar o alcance de metas. Cabe ao RH amenizar esses conflitos e procurar soluções para evitar que esses problemas alcancem proporções maiores.

Manutenção do engajamento

O planejamento de sucessão nesse tipo de empresa pode ficar concentrado apenas nas pessoas da família, o que desmotiva os funcionários. O RH deve promover ações capazes de manter o engajamento desses colaboradores.

Investimento em inovação

Algumas empresas familiares podem ter características conservadoras, o que atrapalha a adesão às novas tecnologias e soluções. Os hábitos de consumo estão em uma transformação radical e o RH precisa convencer sobre a importância de investimento na digitalização de processos.

Como melhorar a gestão de empresas familiares?

Algumas providências podem ser tomadas para que a gestão das organizações familiares seja melhor realizada. Resumimos essas práticas em 4 dicas importantes.

1. Metas definidas

Qualquer iniciativa empreendedora deve contar com um plano de negócios que indique aonde a corporação deve chegar, como e em quanto tempo. Esse planejamento deve ser obedecido e considerado na tomada de decisões.

2. Controle financeiro

Um dos principais motivos que levam à falência de uma empresa familiar é a falha no controle financeiro. Todas as operações devem ser planejadas e registradas: entradas, saídas, fluxo de caixa, custos fixos, entre outras.

Se possível procure centralizar esse controle em apenas uma pessoa. Se encontrar dificuldades, faça cursos de gestão financeira para entender como é feita a administração de uma empresa.

3. Investimento em gestão de pessoas

Saber administrar as competências dos funcionários e contratar corretamente não são características apenas de grandes organizações. Empresas familiares também devem dominar esses conceitos para que consigam contar com as habilidades necessárias dentro do seu quadro de funcionários.

4. Separação dos gastos

Um erro comum ocorre quando o empreendedor mistura os gastos pessoais com os empresariais e acaba sem entender como estão os lucros do negócio e o que pode ser cortado. Use uma conta bancária Pessoa Jurídica para as movimentações e tenha claro que o dinheiro da organização não deve ser usado para cobrir despesas particulares.

Com as 4 dicas listadas, a gestão de empresas familiares pode ser melhorada de maneira consistente. Lembre-se também de acompanhar resultados e que, apesar de a sucessão se manter no núcleo familiar, a contratação de profissionais externos é importante para a introdução de novas ideias.

Quer saber mais dicas que ajudem a melhorar a gestão? Confira este post com 5 vantagens do uso da inteligência artificial no RH.

Posts relacionados

Deixe uma resposta